10 Considerações sobre Manuscritos do Mar Morto, ou por que seitas secretas são instigantes...

O Blog Listas Literárias leu Manuscritos do Mar Morto, de Adam Blake, publicado pela editora Novo Conceito, e publica aqui suas 10 Considerações sobre o livro tentando fugir ao máximo de possíveis spoiler's:

1- Manuscritos do Mar Morto, de Adam Blake é um thriller que usa de assuntos de interesse de leitores investigadores, e que adoram mistérios ligados a velhos documentos e seitas secretas, para produzir um romance intenso, com muita ação e movimento;

2 - A partir da retomada de investigação de mortes que pareciam acidentes, a policial Heather Kennedy, personagem de muita fibra e uma alta dose de obstinação acaba se deparando com algo que ele mesma desconhece e sequer poderia imaginar tão grande, tudo iniciado com uma pesquisa envolvendo os antigos manuscritos do mar morto;

3 - Neste ponto, o livro aliás acaba invadindo o plano comum quando da descoberta de códigos secretos em documentos já amplamente estudados como no caso dos manuscritos do mar morto, mas ainda assim sem deixar de ter sua grande validade diante da forma como a trama é construída e elaborada, trazendo em determinados pontos aspectos bastante técnicos;

4 - O livro é ainda uma grande viagem pelo globo terrestre, com passagens em países como Inglaterra, Estados Unidos e México. Além disso, a obra ainda se mostra uma grande colcha composta por uma série de personagens, todos eles elaborados de forma consistentes e de características próprias muito presente, e mistérios que perduram por séculos;

5 - Talvez dentre as mensagens que o livro apresenta está o grande duelo entre passado e presente, e especialmente o desafio de manter-se nas sombras segredos em tempos em que o mundo nos parece tão pequeno e único graças a todo esse aparato de tecnologia. É justamente este dilema que começa a aterrorizar a trazer a decadência para a seita secreta do livro;

6 - Cabe ressaltar também que Manuscritos do Mar Morto é bastante visual, e focado mais na própria ação do que as investigações (mas estas ainda assim exigem muito trabalho) e que produz cenas de grande impacto como tiroteios, explosões, e perseguições alucinantes, onde toda a esperteza do mercenário Leo Tillman que é outro dos bons personagens do livro;

7 - Aliás, já falei sobre ser a obstinação ser a característica predominante dos personagens, e isso fica bem clara, seja nos principais como Kennedy, Tillman e o antagonista Michael Brand, ou em secundários como Webster Gayle e Moggs. Além da obstinação, o extremismo e a ignorância fundamentalista também aparece no centro dos debates propostos pela obra;

8 - Por outro lado, é importante falar também que para uma seita secreta, os vilões do livro acabam se deixando atrapalhar por suas próprias mancadas, e a cada nova tentativa de consertar falhas anteriores, rumando mais para seu próprio declínio;

9 - Outro ponto do qual acabei não gostando muito em seu final, é que seguindo um padrão bastante cinematográfico, temos o ápice da trama sendo revelado pelas palavras do próprio antagonista que perde um tempão revelando todos os segredos para Tillman e Heather. Mesmo que isso se justifique pela pessoalidade envolvida no caso, ainda acho que seria bem mais prático o vilão resolver o assunto logo, do que ficar falando demais. Isso geralmente dá merda;

10 - Enfim, Manuscritos do Mar Morto é um livro de grande capacidade e que certamente irá agradar os fãs de thrillers intensos e movimentados, especialmente por seu impacto visual e os meandros históricos envolvidos. É um livro pronto para ser adaptado para o cinema que certamente renderia um bom filme policial;

:+ na Saraiva ::




10 Considerações sobre Manuscritos do Mar Morto, ou por que seitas secretas são instigantes... 10 Considerações sobre Manuscritos do Mar Morto, ou por que seitas secretas são instigantes... Reviewed by Douglas Eralldo on quarta-feira, dezembro 04, 2013 Rating: 5

Um comentário