10 Considerações sobre A Caçada, ou porque ainda é possível ser original com vampiros...

O Blog Listas Literárias leu A Caçada, de Andrew Fukuda, publicado pela editora Intrínseca, e publica neste post suas 10 considerações sobre o livro:

1 - A Caçada, de Andrew Fukuda é um dos mais originais livros com vampiros ( embora em nenhum momento se digam que são vampiros) lançado nos últimos anos, e chega para revitalizar o gênero e agradar os mais ardorosos fãs das criaturas noturnas;

2 - E a originalidade e criatividade que acabam fazendo a diferença no universo construído por Fukuda, numa prometida trilogia, está no fato do autor inverter o ponto de vista tradicional das histórias de vampiros, nos dando um mundo em que os "vampiros" são a classe dominante no planeta, e os humanos vistos no livro como "epers", uma raça desprezível e selvagem e que está praticamente extinta;

3 - Esta inversão faz uma enorme diferença, primeiro porque um mundo dominado por vampiros é bem mais letal, e até mesmo assustador e um tanto nauseabundo que se poderia imaginar, e em segundo, é porque para um "eper" sobreviver num mundo assim é uma probabilidade praticamente impossível;

4 - Assim este universo sombrio e tenso elaborado por Andrew Fukuda acaba prendendo o leitor com avidez, cuja narrativa com um texto fluente e cuidadoso impulsiona-nos sempre em frente, enquanto seguimos a voz, as vezes inconsistente de Gene, um herói ainda em formação, cuja ação se dá pela força dos acontecimentos;

5 - Embora o livro possua muito mais qualidades do que problemas, há em seu desenvolvimentos percalços que não passam despercebidos do leitor mais atento, tais como problemas de continuidade, como por exemplo na passagem durante o sorteio da Caçada Eper em que uma afirmação é desfeita uma página depois, e alguns esquecimentos como os pelos de Gene durante o confinamento no Instituto, entre outros detalhes;

6 - Além disso, o universo em que compartilha tecnologias como o e-mail e as mesas escolares como se fosse um tablet, ao mesmo tempo que está em um mundo em que o transporte é feito por carruagens puxadas a cavalos, e que câmeras de televisão são raras de de difícil manejo. Isto acabou me causando certa estranheza;

7 - Fora estas duas questões que podem pesar na avaliação dos leitores, o livro é contraditoriamente viciante, o que credito muito a forma exitosa e até mesmo rara que Fukuda consegue transpor para as páginas dos momentos tensos, com muita ação e adrenalina. O jeito com que ele acaba narrando as fugas e os momentos de perigo onde a morte é iminente causa um tipo de "efeito Matrix" no leitor, uma espécie de  "bullet-time" literário que nos faz literalmente segurar o fôlego diante o suspense aprisionado de suas cenas;

8 - Outra coisa que deve servir mais como aviso, é que leitores de estômago sensível irão encontrar pelo caminho de A Caçada uma série de cenas nauseabundas e até mesmo chocantes. Afinal, como vocês imaginam um mundo dominado por "vampiros"?

9 -  Gene, o narrador e protagonista do livro é outra questão a ser olhada com atenção, já que seu comportamento nem sempre é linear, e tampouco ele pode encarnar o típico herói, já que diversos questionamentos o infligem durante a trama, desde a necessidade de ele saber quem realmente é, até o momento de definir suas escolhas, e de qual lado deverá ficar. Por isso Gene é perigoso e dúbio, e o leitor deve estar alerta com ele;

10 - Enfim, A Caçada, tem sim alguns deslizes, mais ainda assim não consegui desgostar dessa obra que sinceramente nos prende durante a leitura. Contém ação e reflexão em suas páginas, numa injeção constante de adrenalina, algo muito semelhante ao que imaginaria ser a vida de um "eper", e quando chega a parte final do livro tais doses são chapantes. Para fechar, um final épico e algumas portas abertas convidam para a sequência do trilogia. Creio que fãs de vampiros vão gostar muito deste livro;




 
10 Considerações sobre A Caçada, ou porque ainda é possível ser original com vampiros... 10 Considerações sobre A Caçada, ou porque ainda é possível ser original com vampiros... Reviewed by Douglas Eralldo on segunda-feira, dezembro 23, 2013 Rating: 5

Nenhum comentário