terça-feira, 23 de julho de 2013

, ,

10 Dicas de Escrita por João Barreiros

Duas coisas que os leitores do blog gostam é dicas de endereços para conseguir boas informações, e também dicas de escrita. Por isso juntei as duas coisas no post de hoje, compartilhando as 10 dicas de escrita de João Barreiros, escritor português licenciado em filosofia e professor do ensino Secundário, é tradutor, autor e (até já foi) editor de ficção científica. As dicas foram publicadas pele excepcional Revista Bang!, gratuita e digital produzida pela editora da Terra Mãe, Saída de Emergência, com o catálogo voltado para a literatura fantástica:

* Ah, vale o aviso que não fiz a tradução do português, para o português! 

1 – Antes de começar a escrever uma só linha que seja,leiam pelo menos vinte mil livros do gênero. Isto para ganhar “calo”.

2 – Isolem-se. No interior de uma montanha, no mais profundo dos oceanos, no recato solitário do vosso scriptorium, sem familiares, criancinhas ou animais de estimação por perto.

3 – Não se ponham a ouvir música, ou o gorgolejar do puto, ou as vacuidades da sogra. Silêncio absoluto.

4 – Esqueçam o acesso à Net. Balzac não o tinha. Tolstói não sabia o que isso era. Se tiverem dúvidas quanto à investigação, ponham isso entre parênteses, teclem dúvida, e esperem até chegar ao fi m do livro para as resolver. 

5 – Não se ponham a comprar livros sobre dirigíveis ou física quântica, porque não vão ter oportunidade para os ler. Perde-se tempo e dinheiro a investigar em demasia. Vão gastar mais dinheiro neles do que aquilo que vão receber com os direitos de autor. 

6 – Perante o horror de uma página em branco, escrevam nela qualquer coisa para começar. Tipo “O Zezinho era nhónhó”. Esta edifi cante frase poderá ser utilizada como alavanca inspiradora. 

7 – Preenchida a primeira página, apaguem a frase acima citada, pois deixou de ser necessária. Não se esqueçam de a retirar. Os revisores de provas não querem saber disso, e ela, para vossa vergonha, irá aparecer escarrapachada no início da vossa obra-prima. É certo e sabido. 

8 – As Musas são vampiras cruéis. Mas vocês não podem viver sem elas. Invoquem-nas. Façam sacrifícios de sangue. Ofereçam-lhes a Tia Alzira, que não está a fazer nada neste mundo. Juro que funciona. E depois fi quem à espera que alguém se debruce sobre os vossos ombros. Alguém que aceitou as oferendas. 

9 – Deixem que os sonhos vos conduzam. Um impasse narrativo é geralmente solucionado depois de uma noite bem sonhada. 

10 – Não avancem mais do que a vossa inspiração. Quatro páginas por dia, todos os dias à mesma hora. Mexam e remexam no que já escreveram. Declamem o texto em voz alta. Bebam litros de café. Mastiguem e remastiguem o que já fi zeram. Como diria Buzzati, “A eternidade chega, mas chega devagar”...
Reações:

Um comentário:

  1. Obrigada, Douglas. Adorei as dicas :)
    Especialmente interessante aquela sobre escrever qualquer coisa (qualquer coisa mesmo) na página em branco, para começar. Foi o mesmo conselho que recebi do meu orientador, quando estava com dificuldade de começar a escrever uma tese.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...