7 Grandes mentiras que contam sobre livros e literatura

1 - Livros grossos afugentam leitores: Foi-se o tempo em que jovens que quando ordenados a ler procuravam logo pelo exemplar de lombada mais fina. É claro que a obrigação contribuía para isso, mas hoje quem achar ou dizer que livros grossos afugentam leitores estará completamente enganado. Para tirar a dúvida é só olhar a lista dos mais vendidos, onde encontrará no mínimo a presença de três volumes de As Crônicas do Gelo e do Fogo, todos com cerca de 600 páginas, ou mais. Outro exemplo de sucesso, são os volumes dos épicos nacionais, A Batalha do Apocalipse, e Dragões de Éter;

2 - Não se pode viver de literatura no Brasil: Esta é uma outra mentira espalhada pelos quatro cantos. E para desconstruí-la sequer utilizarei os milhões de Paulo Coelho. Obviamente não quero dizer que todos que desejam viver dos livros o consigam, mas isto amigos também ocorre no futebol, na música, na televisão, enfim em qualquer segmento. Mas o fato é que muita gente tem conseguido ganhar dinheiro com aquilo que gosta, ou seja escrevendo livros. Exemplos como Thalita Rebouças que já vendeu mais de 1 milhão de livros, e André Vianco que desde que investiu seu FGTS em O Sétimo consegue viver de sua literatura. Somam-se a eles, ainda outros exemplos recentes como o jovem Raphael Draccon, e sua trilogia Dragões de Éter, além de atualmente ser um exímio editor, e Eduardo Sphor, cuja tiragem já está em 350.000 livros, que se ainda não o possibilitou o primeiro 1 Milhão de Reais, ou deixou bem próximo disso;

3 - Livros são caros: Outra balela interminável e propícia para quem precisa de uma desculpa (que não é boa) para não ler. No mercado hoje você pode encontrar livros de primeira linha entre R$ 10,00 e R$ 40,00, inclusive lançamentos. Muita gente que reclama dos preços é bem provável que gaste muito mais que isso com bebidas ou cigarros. Um bom thriller policial pode ser comprado por menor preço que um lanche no MacDonald's. Livros não são caros.

4 - Literatura nacional não presta: Não é raro ouvir isso, e provavelmente vocês já ouviram, ou certa vez já falaram também. Como em todo lugar do mundo temos do bom e do pior, mas há sim excelentes autores em todos os gêneros da literatura. Aqui no blog sempre tenho buscado divulgar, bem como acabo conhecendo muito da literatura nacional, clássica, ou fantástica. O brasileiro tem uma ótima veia literária, e uma literalidade que muitas vezes é sim, de igual competição com os mais famosos autores estrangeiros. E poderia citar, vários exemplos aqui, mas para não repetir nomes de sucesso ou evidência, por exemplo o trabalho de autores como Allan Pitz, Alfer Medeiros, e Edson Rossato valem a pena cada página. Na seção Eu Li aqui do blog vocês podem encontrar resenhas dos trabalhos deles;

5 - Literatura clássica (ou erudita) é chata: Mentira. E mentira. Sim, não é por gostar de literatura de gênero, que o oposto deixa de servir. C. S. Lewis já afirmava que não se precisa deixar de ler juvenis, por causa dos clássicos, e o crescimento se dá justamente quando se é possível ler ambos. Portanto não cometam o erro de achar que por gostar de literatura fantástica é impossível gostar de clássicos e eruditos. Lute contra o preconceito, e se aventure por um livro considerado "difícil" que verás o quão mágico é ver o mundo com outros olhos;  

6 - Literatura comercial (ou de entretenimento) não presta: Outra mentira. Parece que para alguns ver alguém lendo algo comercial é um pecado mortal. "Não leiam Harry Potter em público",  "Literatura fantástica não tem valor. Principalmente se for nacional", é alguma das coisas que parecem querer dizer. Começo pelo princípio que não importa qual livro, mas se ele foi capaz de fazer o leitor virar a próxima página, é por que tem seu devido valor. Além disso, a literatura tida como comercial é a principal porta de entrada para o mundo da leitura. e não falemos aqui de seus números que aquecem, e mantém muitos empregos no mercado editorial. Literatura de massa tem tanto quanto valor aquele livro de uma tiragem de 1.000 exemplares que os críticos adoram. Nela também exerce a sua função, o texto de encantar pela palavra escrita, da sua forma, mas capaz de seduzir e angariar um grande séquito de leitores. Além disso o bestseller de hoje pode ser o "cult" de amanhã;

7 - Você tem a obrigação de ler livros: Esta é a primeira mentira que muitos conhecem. Infelizmente geralmente ela nos chega na escola, o ambiente que deveria ao longo de tanto tempo ter encontrado uma forma mais criativa de incentivar a leitura. Como vovó já dizia, "obrigado é pau-de-arrasto", ninguém está obrigado a ler livro. Faça isso pela curiosidade humana em desbravar novas coisas, mas o faça por sua própria escolha, sem pressões, e sem obrigações. A leitura é um prazer, e por isso quando se decidir por um livro, siga seu próprio caminho, e leia aquilo que tenha interesse de ler, não importa se seja sobre vampiros, ou um magnífico guia de "como agarrar mulher feia".

E vocês, que mentira conhecem sobre livros e literatura?



7 Grandes mentiras que contam sobre livros e literatura 7 Grandes mentiras que contam sobre livros e literatura Reviewed by Douglas Eralldo on quarta-feira, agosto 15, 2012 Rating: 5

13 comentários

  1. Livros são caros, sim, especialmente os livros de capa dura com mais de 800 páginas, mas mesmo assim eu não deixo de aumentar a minha biblioteca hehe.

    ResponderExcluir
  2. Nossa valeu pelo post pois todo mundo que eu conheço fala que se eu for ser escritora vou morrer de fome e lendo seu post deu para ver que não é bem isso! acho que os desânimos sempre vão vir, mas devemos acreditar em nos mesmos e correr atras! Adoro o blog é muito legal ainda mais para uma garota como eu meia viciada em livros haha Parabens :P

    ResponderExcluir
  3. "3 grandes mentiras que contam sobre os não-compradores de livros no Brasil"

    1. Livros são caros! Uma família de classe C não acha "barato" um "livro de primeira linha" por R$ 40,00. É caro sim! Pra um leitor de boa performance, que lê uns dois livros por mês, é bem caro! Se os editores e livrarias querem formar um público fiel na classe C, tem que baratear os livros e rápido!

    2. As pessoas não gastam o "dinheiro do livro" com cerveja, gastam com aluguel de vídeo, cds e dvds piratas e brinquedos.

    3. Quem compra cigarro é viciado, não vai deixar de comprar cigarro pra comprar livro sem um tratamento de cura. (Cigarro também é caro e aí sim, se parar de fumar pode comprar muito livro)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra "expandir" o número dois, veja só. Um aluguel de dvd lançamento é R$ 5,00. Com 40, são oito filmes. Se for comprar dvd pirata, três por 10, são 12 filmes!!! Em revistinha da Mônica, (4,50 cada - caríssimo!) são 8.

      Então quando você analisa "um livro" versus "8 filmes legais" ou "12 filmes piratas"... o negócio vai pesando. E considerando que o leitor médio compra livros por diversão e não relê com muita frequência, é caro sim. 40 reais pelo prazer de uma leitura.

      Eu pago. Mas nem todo mundo.

      Excluir
    2. Cara, eu nunca deixei de comprar livros, nem quando estava desempregado e sem saber se ia ter pro aluguel. Sempre tem um sebo, um livreiro de rua, uma queima de saldos com livros excelentes por R$ 10, R$ 5, até mesmo R$ 1.

      Excluir
    3. Uma coisa é você solteiro e sem compromissos com uma família sacrificar o dinheiro do aluguel para comprar livros outra coisa bem diferente é um pai de família sacrificar o dinheiro do aluguel e do sustento dos filhos para comprar livros.

      Livros são caros, especialmente para a classe C e D. Os livros de sebo custam no minimo R$ 10,00 (no minimo). Para comprar são caros sim!

      Mas existem alternativas como bibliotecas...

      Excluir
  4. Eu acho livros no geral caros.
    Mas isso varia muito de editora pra editora...
    Vamos dar nome aos santos?
    Enquanto na Intrínseca, Sextante e afins um título conhecido gira em torno de 25 reais [um bom preço], uma Cia. das Letras ou Objetiva da vida cobra entre 40 e 50 reais mais ou menos...
    Nunca vou deixar de comprar um livro por preço, mas no geral esse bom hábito sai beeem carinho rs

    ResponderExcluir
  5. "Livro é caro pra caralho, sim, madame! Cultura é caro pra caralho! Principalmente quando submetida aos mercados editoriais! Eu não tenho nem grana pra comprar meu cuzcuz, quanto mais pra gastar R$20,00, R$30,00 reais em um livro, que ao seu término não dá nem pra comer..."

    Depoimento de um morador de favela próxima ao seu apartamento de luxo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, aprende a escrever antes de sair falando merda!

      Excluir
    2. Ele escreveu errado onde? Escrever palavrão, ou pornografia se preferir, é escrever errado?
      Então fudeu!

      Excluir
  6. É muito interessante observar não apenas o aspecto fetichista do livro quando se propõe a avaliá-lo mediante esferas econômicas e políticas.

    Livros continuam caros, assim como qualquer aparato cultural de informação útil. E não esqueçam: assim como qualquer meio de comunicação comum o livro é também celeiro de onde brota a desinformação e a alienação, portanto não vejo com olhos tão crédulos essa ascensão simétrica e contínua de "Cinquenta Tons de Cinza" à Balzac, por exemplo. E olha que quando se fala de literatura, tende-se a tratar com respeito apenas os medalhões! Não se iludam, minha gente!

    ResponderExcluir
  7. É facil encontrar livros por menos de 20 reais, que são otimos, porem alguns livros Brasileiros ( principalmente no meu caso que tenho que comprar online por morar numa cidade minuscula) que tem aquele "sucesso" são caros e até dificeis de encontrar.
    Acho que o " você tem a obrigação de ler" faz com que as pessoas de certo modo passem a não gostar da leitura, eu pelo menos no periodo da escola li no máximo 3 livros, infelizmente. Agora tenho que recuperar o tempo perdido.

    ResponderExcluir