10 Considerações sobre Asgard – O poder Esquecido, ou como coisas esquecidas podem ser perigosas...

1 – O livro reúne um bocado de criaturas e deuses mitológicos, que travam uma guerra eterna pelo poder, que obviamente sofrerá a interferência humana. A magia destes seres, e as batalhas travadas são um dos atrativos do livro;

2 – Já a escolha do tempo narrativo, onde o narrador conta a estória de forma presencial, como se este fosse um repórter que entra numa transmissão ao vivo e passa a contar passo por passo a jornada do jovem Ariel, como se tudo acontecesse naquele exato momento me causou certa estranheza durante a leitura, tornando-a mais lenta e confusa em determinados momentos;

3 – Outro fator desfavorável é que algumas partes poderiam ser excluídas do livro sem prejuízo algum ao trabalho. Algo como aqueles conselhos que sempre está em listas de que o autor sempre pode cortar mais no texto. Isto fica bem claro no capítulo em que Freya e Ariel realizam uma longa caminhada pela cidade, num exagero de pormenores, que o leitor acaba sentindo-se cansado como deveriam estar os personagens ao final de um dia de intensa caminhada, e muito pouca conversa;

4 – Dentre os fatores positivos do livro estão ás cenas de ação, pois estas são escritas de forma bem clara e objetiva, além de propiciarem a tensão necessária;

5 – Embora, um tanto clichê com o personagem humano, porém especial que vai interferir numa guerra entre deuses, o autor conseguiu obter uma boa idéia de trama, e o argumento do livro é bem elaborado, e talvez não fosse á escolha do tempo narrativo funcionaria ainda melhor;

6 – Além disso, também é preciso colocar que alguns problemas de revisão além do habitual, em certos momentos travam nossa leitura;

7 – Loki, um dos deuses, filho de Odin, por sua forma dissimulada e irônica é o melhor personagem do livro;

8 - Com certeza a principal virtude da obra é a forma como o autor consegue reverter o enredo no final do livro causando surpresa ao leitor, e mudando completamente seu destino, e o de Asgard;

9 – Mas dentre todas as falhas me há uma capital, e é justamente sobre as origens do protagonista da trama, Ariel. Embora durante a narração suas origens sejam reveladas, esta não acaba não condizendo com a ordem cronológica dos fatos, o que não posso me aprofundar em explicações por que causariam spoilers que acabariam estragando toda a surpresa da trama. Mas aos que lerem, certamente compreenderão o que falo.

10 – Enfim, embora o livro possua alguns problemas que conforme o leitor pode ou não dimensioná-los, aos que curtem fantasia e mitologia nórdica encontrarão cenas de ação, deuses e elfos, e nos momentos cruciais de ação e aventura ele dá uma compensada na narrativa. Além disso serve como experiência de conhecimento de novos autores brasileiros. 



10 Considerações sobre Asgard – O poder Esquecido, ou como coisas esquecidas podem ser perigosas... 10 Considerações sobre Asgard – O poder Esquecido, ou como coisas esquecidas podem ser perigosas... Reviewed by Douglas Eralldo on quinta-feira, maio 03, 2012 Rating: 5

4 comentários

  1. Parece interessante... comprei meu exemplar hoje.. deve chegar em alguns dias... pois moro em um reino tão tão distante... fiquei mais curioso para conhecer a história do livro Asgard...

    Atenciosamente,
    Wender Monteiro

    ResponderExcluir
  2. Li o livro e realmente gostei, o autor aborda com riqueza de detalhes os fatos narrados fazendo o leitor se inserir no contexto e visualizar o ambiente e os personagens.Ótima estória... fiquei impressionado pela pouca idade do escritor e acreditando que ele ainda está em formação literária tem um grande futuro pela frente! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  3. o autor desse livro é da minha escola, ainda não li o livro, mas os professores me disseram que ele começou a fazer esse livro desde a sétima série.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isto deve ter um reflexo bem bacana na sala de aula, não é mesmo?

      Excluir