10 Melhores guerreiras do universo de Conan, o Bárbaro

A autora do Listas Literárias Convida Escritores de hoje é a paulista de Caçapava, Georgette Silen. Mãe de dois filhos e muitas histórias para contar a escritora se tornou conhecida entre os leitores com seus livros de vampiro, como Lázarus (Novo Século), e Apenas uma Taça (Editora Estronho). Além de escritora, Georgette Silen é atuante no meio dos livros, seja em seu trabalhos como revisora, ou nas antologias em que ele organiza ajudando a revelar novos autores. Seu trabalho mais recente, que já estão em pré-venda, são as Crônicas de Kira, e Fábulas do Amanhecer, ambos pela Giz Editorial. Segundo a autora a inspiração para os novos trabalhos se deu com sua grande admiração pelo universo de Conan, o Bárbaro, uma de suas principais leituras na adolescência."É nesse tipo de universo ambientei as histórias de Kira, a Princesa de Hisipan, uma terra de mulheres Amazonas guerreiras, procurando ser fiel ao gênero Espada & Magia, que tanto admiro", destacou a autora, que para nossa lista escolheu as melhores guerreiras do universo de Cona: O Bárbaro.


1 - Bêlit, a rainha da Costa Negra: Essa destemida rainha pirata, que comandava os temíveis Corsários Negros e singrava os mares com o navio Tigresa, foi o grande amor da vida de Conan, o cimério, em sua trajetória pelas terras Hiborianas. Bêlit era nobre, filha dos reis de Shem, cujo pai foi assassinado a traição por seu irmão e ela teve de fugir. Graças a seu tutor, Nyaga, Bêlit foi ovacionada como sendo a filha da deusa da morte, Derketa, e passou a reinar nos países negros como tal. Por 3 anos, ela e Conan viveram uma intensa paixão. Ao pilharem um tesouro de uma estranha cidade esquecida (A Morte é Vermelha/ESC 57), Conan sofre um ataque de uma criatura monstruosa e só se salva graças a uma estranha aparição de Bêlit, em forma de espectro, que distrai o monstro para que o cimério o destrua. Ao voltar ao acampamento, Conan encontra todos os tripulantes do Tigresa mortos, inclusive sua amada Bêlit, que foram tocados pela maldição do tesouro encontrado e se destruíram. Um trecho marcante dessa história é que Bêlit havia prometido, mesmo que estivesse morta, que seu espírito voltaria para salvá-lo se ele precisasse dela, e assim o fez. Ele vela seu corpo, coloca-o no Tigresa e ateia fogo ao navio, vendo-o queimar em alto mar. E assim termina a saga da bela rainha da Costa Negra.

2 - Sonja, a Guerreira: Ou Red Sonja, como é conhecida, é uma guerreira ruiva das terras da Hirkânia. Seu pai era um ex-mercenário que ensinou aos filhos a arte de manejar armas. Quando adolescente, viu sua família ser morta diante de seus olhos e foi brutalmente violentada. Enquanto se arrastava para fugir das chamas que consumiam sua casa destruída, ela teve a visão de uma Deusa, que prometeu dar-lhe força e destreza de uma guerreira, se prometesse que apenas o homem que a vencesse em combate poderia tocá-la. Sonja aceitou o acordo e sua vida mudou completamente então, colocando sua espada a serviço de quem pudesse pagar. Ela foi uma obsessão para Conan durante toda sua vida, devido à sua grande beleza e ao desafio proposto.

3 - Valéria, da Irmandade Vermelha: a aquiloniana Valéria, nascida sob o nome de Merina, era filha de um lorde da Aquilônia e órfã de mãe. Após o navio de seu pai sofrer um ataque de piratas durante uma viagem e conseguirem escapar, sua guarda-costas Zora começa a ensinar a jovem Merina a usar o arco e flecha. Após a morte do pai, também vítima de traição, e de sua tutora Zora, a menina foge com os piratas de seu tio Kirkos, assumindo então o nome de Valéria. Quando seu tio a promete em casamento, ela foge, disfarçada de homem, e assume um lugar na temida Irmandade Vermelha dos Piratas (Valéria da Irmandade Vermelha/ESC129). Determinada a viver uma vida de homem, Valéria não se permitia ser tocada por ninguém, pois afirmava que sua virgindade era sua única virtude. Conan e Valéria se encontraram em muitas ocasiões diferentes no reino Hiboriano.

4 - Nzinga, a rainha das Amazonas: Nzinga era uma bela mulher negra, e muito poderosa. Como rainha das Amazonas, ela tinha o poder de decidir quem viveria ou morreria. Sua aparição se deu na Saga dos Barachos, onde Conan e a princesa Chabela, de Zingara, foram aprisionados e vendidos como escravos para Nzinga. A princesa foi forçada a trabalhar como serviçal, enquanto Conan caiu nas graças da rainha, tornando-se seu amante. Mas Nzinga tinha um temperamento ciumento e agressivo, e acreditava que Conan estava apaixonado por Chabela. A princesa zíngara sofreu as piores torturas nas mãos da Amazona enciumada. Em uma edição de Conan Rei, quando o cimério já era soberano da bela Aquilônia, ele trava conhecimento com uma filha de Nzinga que, ao que tudo indicava, poderia seu sua também.

5 - Chabela, princesa de Zingara: A princesa Chabela acorda, certa noite, angustiada com um pesadelo premonitório. Ela sentia que forças místicas atuavam sobre seu pai. Orando para Mitra, o deus da Luz, ela decide consultar o oráculo, que a manda partir e procurar por seu tio, Tovarro. E assim tem início A Saga dos Barachos, onde Chabela se encontrará com Conan e ambos enfrentarão a temida Nzinga, rainha das Amazonas, e também o poderoso mago Thot-Amon, sacerdote do deus serpente Set. Embora Nzinga acreditasse que Chabela era amante de Conan, na verdade a princesa zíngara, como todas as mulheres de seu reino, mantinha voto de castidade até o casamento e andavam armadas de um punhal fino, para cometerem suicídio caso houvesse tentativa de violação de suas virtudes.

6 - Jenna, a prostituta: Jenna era uma prostituta de Shadizar, que literalmente colocou o cimério em várias confusões ao longo de muitas aventuras em que se encontraram. Além de roubar o coração de Conan, Jenna o traiu sistematicamente várias vezes seguidas, até abandoná-lo. Na história O Vale da Morte Eterna (ESCOR6), Conan reencontra Jenna em Shem, totalmente deformada, vítima de um feitiço poderoso de Myya L'Rasleff. Assim que ele mata o feiticeiro, ela recupera a beleza e a juventude, e parte mais uma vez com o cimério. No cinema, na adaptação Conan, o Destruidor, o nome “Jenna” foi utilizado para designar a princesa de Shadizar, predestinada a acordar o deus dos sonhos, Skellos.

7 - Olívia, a princesa escrava: Olívia era filha do rei de Ophir, que ao se recusar a casar com um príncipe de Koth, foi vendida como escrava por ele para um chefe Shemita. Esse chefe, desejando conquistar a boa vontade de Shah Amurath, poderoso líder guerreiro, deu-a de presente a ele. O encontro de Olívia com Conan se dá quando ela está fugindo pelos charcos do rio Ilbars, tentando escapar de seu dono. Conan, único sobrevivente do exército que Shah Amurath massacrou, vê a oportunidade de vingança e, numa luta sangrenta, mata Shah. Em seguida, ele foge, levando Olívia consigo, que depois acaba se tornando sua amante quando ele conquista um navio pirata. Olívia tinha um estranho dom: podia ver, em seus sonhos, onde criaturas místicas se escondiam nos arredores.

8 - Taramis e a bruxa Salomé: Taramis, rainha de Khauran, acorda certa noite e se depara com uma mulher idêntica a ela em seu quarto: Salomé, sua irmã gêmea, que ela considerava morta desde o nascimento. Salomé fora abandonada para morrer no deserto por ter nascido com a marca da bruxa, mas, salva por um mercador de Khoraja, cresceu e voltou para retomar o que era seu por direito: o trono de Khauran. Dotada de poderes místicos, Salomé assume o trono como se fosse Taramis, trancando a irmã nos calabouços, oferecendo-a aos capitães e demais homens de seu séquito traidor. Quando Salomé anuncia, perante a guarda real, que os mercenários de Constantius, que a ajudou a chegar ao trono, serão agora a nova lei da cidade, Conan, que é o capitão da guarda de Khauran, se rebela, acusando-a de não ser a verdadeira rainha, e é derrubado. Após ser crucificado no deserto e ser salvo pelo zuagir Olgerd Vladislav, Conan assume o comando dos zuagires e volta para se vingar, libertando Taramis e matando a bruxa Salomé (A Maldição da Lua Crescente/ESC5).

9 - Akyvasha, a mulher que nunca morre: a princesa Akyvasha, da extinta Aqueronte, um reino que sucumbiu há 3 mil anos antes da Era Hiboriana de Conan, se encontra com o cimério uma única vez em suas aventuras, no reino da misteriosa Stygia, terra de magos e feiticeiros negros. Segundo descrito pelo autor, Robert E. Howard, Akyvasha tinha sede de viver, e para escapar da morte aceitou se tornar uma vampira, passando a viver nas catacumbas de uma pirâmide da Stygia, sendo adorada como uma deusa. Segundo também está descrito, ela é possivelmente filha de Thot-Amon, o poderoso sacerdote de Set. Sua aparição se deu na novela A Hora do Dragão.

10 - Zenóbia, a concubina do rei: Zenóbia fazia parte das mulheres do harém do Rei da Nemédia, um harém tão numeroso que ele nunca sequer a havia tocado. Quando Conan, agora rei da Aquilônia, foi feito prisioneiro após um poderoso feitiço lançado por Xaltotum, o mago ressuscitado da antiga Aqueronte, Zenóbia corajosamente desceu às catacumbas do castelo e libertou Conan, declarando um antigo amor que sentia pelo rei. Com a ajuda dela, Conan fugiu, prometendo recuperar seu trono e voltar para buscá-la, o que de fato aconteceu. Zenóbia foi, então, feita rainha da Aquilônia, e a única legítima esposa que o cimério teve em toda sua vida, dando-lhe três filhos.
10 Melhores guerreiras do universo de Conan, o Bárbaro 10 Melhores guerreiras do universo de Conan, o Bárbaro Reviewed by Douglas Eralldo on domingo, março 11, 2012 Rating: 5

11 comentários

  1. Olá Douglas!
    Foi muito bom fazer esse trabalho, mesmo tendo que escolher apenas 10 entre tantas personagens marcantes do universo de Conan, o Bárbaro.
    Espero que os seguidores do Listas Literárias curtam essa leitura.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Georgette, eu que agradeço sua disposição em participar!

      Excluir
  2. Conan,curti demais esse personagem, OTIMA MATERIA, so que leu sabe,o quanto e legal eu viajava demais nos gibis.POR CROM !!!!!

    ResponderExcluir
  3. Boa matéria. Conheço todas as história de Conan e Nzinga é uma deusa de ébano. Gostosa pois é muito bem representada nos desenhos. Post nota 10.

    ResponderExcluir
  4. Há um erro na sua história da Bêlit. Conan é dopado com certas ervas na selva e sonha com os habitantes do local. Quando acorda mata um dos amigos e os outros guerrreiros estão mortos. quando chega ao barco vê Bêlit morta. Se prepara para enfrentar o assassino de todos. Quando uma pedra cai em cima de suas perns é que Bêlit aparece e lhe salva a vida.

    ResponderExcluir
  5. Por Crom!!! Eu não entendo como nunca consideram Isparana como um grande par do cimério. Na minha opinião, deveria figurar logo após Bêlit e Sonja.

    ResponderExcluir
  6. Pela barba de Crom!Como foi a vida de Sonja, foi solteirona para sempre ou casou e teve filhos e quando foi sua morte.

    ResponderExcluir
  7. Pela barba de Crom!Como foi a vida de Sonja, foi solteirona para sempre ou casou e teve filhos e quando foi sua morte.

    ResponderExcluir
  8. Adorei a lista Georgette, sou leitor e admirador assíduo de conan há mais de 3 décadas. Das sagas dessas guerreiras a que me marcou mesmo foi a de Chabela, princesa de zingara que sofreu o diabo nas mãos de nZinga a rainha amazona. Mas faltou a historia de ISPARANA a ladra que acompanha o cimério por vários desertos, enfrentando monstros e no fim retira do trono um rei louco por poder. Linda história também, pelas mãos do monstro Roy Thomas.

    ResponderExcluir