10 Considerações sobre John Carter - Entre dois mundos, ou como aventuras em Marte sempre são legais...

1 - John Carter - Entre Dois Mundos chegou às livrarias com a missão de estrear o novo selo Fantasy da Casa da Palavra,  pertencente ao grupo Leya Brasil, cuja intenção é colocar no mercado, livros de alta fantasia, e a escolha desta obra baseada no filme da Disney, que por sua vez foi inspirado na obra de Edgar Rice Burroughs foi uma grande escolha, tanto pelo momento oportuno, tanto pela aventura que John Carter conduz seu leitor;

2 - Uma aventura em Marte (Barsoom) poderia soar num primeiro momento como ficção científica, mas o livro trata-se de uma grande obra de fantasia, sem prender-se a regras ou conceitos, conduzindo o leitor a uma aventura fantástica em que o protagonista ao ir parar num mundo tão distante, acaba por reencontrar-se e se redimir com seu próprio passado; 

3 - John Carter é um típico caubói americano, de personalidade forte que toma por princípios lutar apenas as batalhas que valham a pena, e como cada guerreiro encontra seu motivo para lutar, para ele isso ocorre em Marte (Barsoom);

4 - Por o livro ter baseado-se no roteiro do filme, a leitura ganha em evolução, sendo tencionada nos momentos certos que conduzem o leitor para uma leitura ávida, mergulhando de cabeça na trama;

5 - No imaginário de Burroughs ele consegue criar cenários fantásticos e criaturas estranhas e formidáveis que sempre povoaram o imaginário da humanidade, já que os marcianos sempre estiveram muito presentes em nossa cultura, e em John Carter o autor cria sua própria versão de marcianos;

6 - O que para uns pode ser clichê, para outros pode ser os ingredientes necessários para uma boa aventura, como uma grande história de amor, uma guerra entre povos, e um herói pronto para salvar o mundo em perigo em questão. Todos estes ingredientes estão no livro, e para mim funcionaram como um grande estimulante para o prazer de minha leitura;

7 - Os Tharks são um ponto forte no livro, já que Carter passa um bom tempo junto a eles. A cultura deles e suas ações colaboram bastante para a ação do livro e para o destino de Barsoom (Marte);

8 - Embora John Carter seja o protagonista do livro - E praticamente um superman sem capa e sem uniforme em marte - a personalidade mais forte e marcante é sem dúvida da da princesa Dejah Thoris;

9 - Se algo permanece obscuro no livro são os Therns, figuras sombrias do universo cuja função não ficou bem clara, a não ser obviamente dominar e destruir o mundo;

10 - Enfim, John Carter - Entre Dois Mundos cumpre com seu papel, trazendo para os leitores fantasia de grande qualidade em uma aventura épica que sem dúvida alguma deixou uma grande quantidade de referências para a cultura pop, pois nunca é demais lembrar que a obra de Burroughs antecede ícones como  Star Wars e Avatar, e no mundo (Barsoom) elaborado pelo escritor já está presentes raças fantásticas como os Tharks e o clima conspiratório e de guerra espacial num planeta quase devastado. Uma boa leitura para quem gosta de aventura, ação, romance e fantasia criativa;   




10 Considerações sobre John Carter - Entre dois mundos, ou como aventuras em Marte sempre são legais... 10 Considerações sobre John Carter - Entre dois mundos, ou como aventuras em Marte sempre são legais... Reviewed by Douglas Eralldo on sexta-feira, março 30, 2012 Rating: 5

3 comentários

  1. Prince of Persia do paragua!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro foi originalmente lançado anos antes do primeiro game do prince of persia sair. Sendo exato, foi lançado em 1912.

      Já o prince of persia teve seu primeiro lançamento em 1989 se eu não me engano!

      São apenas 77 anos de diferença que separa a grande franquia Prince of Persia e ""Prince of Persia do Paraguai"".

      Excluir
  2. Eu gostei do filme, achei o final legal.


    Lembrei de um podcast que ouvi esses dias sobre john carter, fica ai pra quem gostar de uvir podcasts
    http://www.pvpcast.com.br/podcast/07-john-carter/

    ResponderExcluir