10 Considerações que tive ao ler A Lenda de Fausto, de Samila Lages... Ou como corromper o corruptor...

[Antes de mais nada, este post está cheio de spoiler's]

1 – A livro faz uma releitura de Doutor Fausto para uma ótica Yaoi, um gênero literário que tem ganhado adeptos, principalmente entre mulheres, e aqui um conselho muito útil, caso você não saiba o que é Yaoi, pesquise minimamente aqui, até decidir-te ou não em ler, pois o livro pode causar espanto, ou chocar os leitores desavisados ou que desconhecem o gênero [Incluam este blogueiro como um desconhecedor do significado do gênero até então];

2 – Talvez estas considerações possam refletir a incompreensão sob o ponto de vista de um leitor hétero, mesclada a análise fria e imparcial de alguém que lê uma obra como produto literário, buscando suas virtudes, e seus defeitos, Mas, creio que elas exibem com justiça todos os pontos necessários que os leitores precisam levar em consideração sobre A Lenda de Fausto;

3 – Pois bem, o livro comprova a qualidade narrativa de Samila Lages já vista em contos em antologias, visto que ele domina a escrita e têm sua própria característica muito bem formada para uma autora iniciante, já que A Lenda de Fausto é sua estréia, seu primeiro romance;

4 – Tenho falado aqui seguidamente sobre problemas de revisão. Principalmente como ainda é neste quesito que grandes, médias, e pequenas editoras se diferenciam. O livro conta com alguns problemas pontuais neste requisito, que acabam por não atrapalhar a narrativa, mas que estão um pouco acima da média [Este blogueiro geralmente coloca entre normal o surgimento de entre 1 e 2 falhas a cada 100 páginas];

5 – Acredito que mais que o romance entre dois homens, ou no caso entre o um demônio e um homem A Lenda de Fausto nos revela uma trama em que o corruptor corrompe-se pelo corruptível. O demônio Belial, emissário de Lúcifer ao tentar corromper a alma de Fausto, acaba mudando a si mesmo, justamente pelo amor nascido pelo humano, invertendo-se a ordem dos fatos ao passo que a trama se desenrola;

6 – Dentre as virtudes do livro está sua forma bem estruturada como a trama é desenvolvida, e a maneira que a autora narra sua própria lenda, que em certas partes pode chocar os leitores;

7 – A jovem escritora mostra coragem em sua estréia literária, pois aos que não conhecem o gênero Yaoi podem assustar-se com suas descrições em boa parte, inclusive de forma explícita, revelando nos mínimos detalhes o enlace amoroso entre Belial e Fausto. Esta forma explícita de descrever a relação homossexual entre o demônio e o humano, muitas vezes de forma violenta, e até mesmo sangrenta, pode causar escândalo, choque, entre outras sensações a leitores que não conheçam o gênero literário, tanto escândalo quanto Marquês de Sade causou em épocas antigas;

8 – Minha opinião como leitor hétero e que desconhecia o gênero: Tomei um susto, confesso. Não é fácil acompanhar dois homens que em grande parte do livro vivem sob lençóis, amando-se de forma explícita, desejando um ao outro, ou até mesmo a outros, já que no mundo criado por Samila relações heterossexuais parecem inexistir [Inclusive quando uma destas está prestes a ocorrer, Belial troca 70 mulheres por Fausto], e não há no céu, ou no inferno, anjos ou demônios que não sejam gays;

9 - Agora, minha opinião como simples blogueiro leitor a analisar uma obra literária, é de que a originalidade, e a forma narrativa da autora [que espero ver também em livros que não só na ótica Yaoi] bem como a maneira que Samila descreve as passagens de horror, criando um cenário tenso, pesado, e estranho a colocam sim como um dos grandes potenciais da literatura nacional. Coragem suficiente para alçar seu vôo ela prova ter neste livro, no mínimo polêmico;

10 – Por fim, normalmente livros não vem com classificação de faixa etária, mas aqui vai uma dica que esta leitura deve ser recomendada a leitores maiores de 18 anos, embora a própria autora tenha me confirmado que iniciou a escrevê-lo ainda no ensino médio;




10 Considerações que tive ao ler A Lenda de Fausto, de Samila Lages... Ou como corromper o corruptor... 10 Considerações que tive ao ler A Lenda de Fausto, de Samila Lages... Ou como corromper o corruptor... Reviewed by Douglas Eralldo on terça-feira, março 29, 2011 Rating: 5

11 comentários

  1. Hehehe, eu SABIA que te assustarias! É a reação mais comum para quem não está dentro do fandon yaoi! (imagines então a reação da minha mãe, coitada... =/)
    O engraçado é que enquanto homens maduros se chocam com esse livro, garotinhas de 14 anos (é a idade média das garotas que começam a ler yaoi) leem tais cenas com afinco e naturalidade... hehehe
    Mas enfim, vamos ao que interessa:
    Que bom que a minha narrativa continua agradando. Como comecei a escrever esse livro quando tinha 16 anos, ficava o receio que esses 4 anos fizessem muita diferença na minha técnica narrativa.
    E sim, admito que tive que reunir muita coragem para dar minha cara a CHUTE lançando esse livro com meu nome real, fazer um lançamento público, dizer a todos: sim, eu escrevi esse livro pecaminoso, queimem-me! hehehehe
    Mas até agora não recebi nenhum chamado da inquisição espanhola, e todas as críticas que recebi foram positivas (mesmo as vindas de leitores não-usuais, que desconheciam o gênero yaoi)
    Sobre a revisão, isso foi um aspecto que me deixou muito triste quando tive o livro já pronto em mãos, mas que estou providenciando uma nova.
    E bem, estou com mais projetos de livros. Alguns yaoi, alguns 'normais', livres para qualquer faixa etária e gênero!

    Obrigada, Douglas, por suas opiniões!

    ResponderExcluir
  2. Ah!! Esqueci de comentar! Meus demônios não são todos gays não! São todos bissexuais, mas se voltam apenas para relacionamento com homens nesse obra porque... Bem, porque se não fosse assim, não seria yaoi! hehehehe
    E sobre os anjos... Esses são enrustidos! XD
    É que tipo, dentro do fandon yaoi... 'o Mundo é cor-de-rosa, meu amor!' XD

    ResponderExcluir
  3. Pois bem,

    A Samila é uma das novas autores de maior identidade que conheci. Original e com posicionamento, e isso é fundamental...

    Fiquei feliz por ver que em parte concordamos com a resenha, e sim o mundo-cor-de-rosa possui criaturas bem distintas, mas dentre os demônios que ela apresentou no livro sinceramente não recordei nenhum demônio que não tivesse os mesmos interesses que belial;

    Aliás, creio que hoje seja impossível imaginarmos um mundo inteiramente hetero, inteiramente Yaoi, inteiramente gay,.. onde eles não coexistam... Hoje fazem parte do mesmo universo... Talvez por isso tenha pontuado sobre essa questão;

    Outra coisa que esqueci de mencionar é que achei bastante interessante o esquema das rosas coloridas;

    Abração

    ResponderExcluir
  4. Vejamos os interesse dos demônios por sexo. Eles 'pegam' mulheres e homens (exemplos são o prostíbulo e o Sabbat -onde ocorre sexo, mas não é descrito), sem distinção, mas todos eles nutrem uma paixão especial por Belial, daí o enfoque totalmente homossexual.
    e ah, sim, as rosas... =D

    ResponderExcluir
  5. Cara, eu já até anotei o nome do revisor. Se em qualquer trabalho que eu fizer o nome dele aparecer eu peço para trocar!

    Sami, o livro está ótimo! A narrativa está muito boa de se ler, é agradavel e nos faz querer saber o que acontece com o Fausto no próximo capítulo!

    Também achei muito legal a questão das rosas coloridas! Deu um charme especial ao livro, e também uma idéia muito bacana para a capa.

    Esperamos mais trabalhos teus menina!

    ResponderExcluir
  6. Né? Sacanagem isso, me trollaram na revisão!
    E que bom que gostaste, Rainier *-*
    E isso das rosas eu tirei pelo meu fascínio pelas rosas azuis (quando eu era criança, colocava rosas branca em água com corante azul, se modo que as pétalas ficavam azuladas) XD
    E bem, tenho que escrever, escrever, escrever!

    ResponderExcluir
  7. Eu reparei nos probleminhas de revisão, nada que invalide o livro, claro. Achei que sabia de tudo antes de ver o desfecho da trama das rosas e fiquei bastante surpresa.

    Entendo a perplexidade do povo diante de um aparente "mundo gay" em Fausto, mas acredito que seja mesmo a questão do enfoque nas partes interessantes. Digo, no homoerotismo. Bom, eu sou suspeita para falar, mas feliz porque o livro tem o seu público.

    Não vejo a hora de ler o próximo! A narrativa é envolvente e fluida e os personagens me cativaram.

    ResponderExcluir
  8. Impossível não reparar creio u_u
    Mas que bom que o final surpreendeu =D
    E bem, isso do 'mundo gay' entende melhor quem está habituado ao yaoi... Mas sim, fãs são suspeitas para falar xD
    e bem, o próximo já tem 9 capítulos escritos! e promete ter +- umas 300 páginas!

    ResponderExcluir
  9. Ah, Douglas erros todos cometem, vide você que pôs si com acento, está estudando espanhol? haha
    Os autores dificilmente percebem esses erros, mas o revisor é pago para isso! Eu também fico fulo com isso! A rainha de Gelo foi uma vergonha para a grande Editora Planeta, por exemplo.
    Enfim, já para Samila eu tenho que dar os parabéns por que eu confesso que tenho que esperar meus pais morrerem para escrever algo do tipo - ou eles iriam morrer lendo. hehe
    Corajosa, talentosa, inteligente e bonita, quer mais que isso. Espero mais livros e vou acompanhar a formação desse sucesso de Samila Lages.

    ResponderExcluir
  10. Muito obrigada, Eduardo. O livro está acima da média tolerável de erros, e por isso eu fiquei desapontada (eu até revisei o texto depois que o revisor entregou, mas como tenho DDA, minhas revisões são quase o mesmo que nada), e estou só juntando grana para uma nova revisão (pq digam o que quiserem, escritor é bicho liso XD)
    E nossa, a família foi sem dúvida a parte mais complicada para o lançamento do livro! Críticas assassina de estranhos a gente lida bem, mas quando isso vem de gente que a gente ama... aí complica.
    E nhai, obrigada mesmo! e que venham mais livros!

    ResponderExcluir
  11. Pois é Eduardo, se escritores encontram tais problemas, blogueiros então, amigo... Quanto a revisão, é bem isso, como leitor, acabei aos poucos criando meu próprio padrão de tolerância, para ser justo com todos, já que erros surgem em praticamente todos os livros, independente da experiência do autor... Ainda bem que esta parte a Samila compreendeu legal, até por que os escritores são em suma os grandes prejudicados numa revisão, pois normalmente eles são cobrados;

    E quanto o que a Samila disse, concordo em número, gênero, e grau, escritor é tudo liso!

    ResponderExcluir