terça-feira, 19 de janeiro de 2010

8 grandes invenções inspiradas na literatura


1 - O Kindle, por Douglas Adams

O guia do mochileiro das gálaxias, de Douglas Adams é sem dúvida um deleite para nerds e geeks. O livro além de Marvin o robô sentimental, do impagável Arthur Dent, presenteia os leitores com invenções que vieram a se tornar realidade num futuro não muito distante. O Kindle é um exemplo. Veja os trechos abaixo:

(...e um aparelho que parecia uma calculadora eletrônica das grandes. Este último possuía cerca de 100 pequenos botões planos e uma tela quadrada de dez centímetros, na qual podia ser exibida instantaneamente qualquer uma dentre um milhão de "páginas"...)(...O outro motivo era o fato de que este aparelho era na verdade o mais extraordinário livro jamais publicado pelas grandes editoras da Ursa Menor -O Guia do Mochileiro das Galáxias. O livro era publicado sob a forma de um microcomponente eletrônico subméson porque, se fosse impresso de forma convencional, um mochileiro interestelar iria precisar de diversos prédios desconfortavelmente grandes para acomodar sua biblioteca.)


2 - O google, por Douglas Adams;

Leia o trecho abaixo, e digam-me, embora as cores, se é apenas mera coincidência.

“Você quer saber sobre os vogons. Então é só digitar "vo-gon", assim. -Ford apertou umas teclas. -Veja. As palavras Frota de Construção Vogon apareceram em letras verdes...”

3 - Andróides, e Rôbos, por Philip dick, e Isaac Asimov

Robôs e andróides, faz tempo que deixaram de ser mera literatura e hoje passeiam por qualquer calçada das metrópoles mundiais. No japão nem se fala. Philip Dick personificou os androides na obra O caçador de Androides [Versão Tupiniquim], no livro que mais tarde seria adaptado para o clássico filme Blade Runner. Isaac Asimov, falou e muito sobre robôs, na Trilogia da fundação, e ainda é ele o pai das três leis da robótica, indispensável em qualquer filme do gênero: 1ª lei: Um robô não pode ferir um ser humano ou, por omissão, permitir que um ser humano sofra algum mal; 2ª lei: Um robô deve obedecer às ordens que lhe sejam dadas por seres humanos, exceto nos casos em que tais ordens contrariem a Primeira Lei; 3ª lei: Um robô deve proteger sua própria existência, desde que tal proteção não entre em conflito com a Primeira e Segunda Leis. Eles além de inspirarem nossos cientistas contribuiram de forma significativa para a aceitação da comunidade com estas máquinas;


4 - Celulares 3G, por Hugo Gernsback;

Em seu livro Ralph 124 C 41+ em 1911 descreveu um aparelho que possibilitava uma pessoa falar com outra, vendo sua imagem ao mesmo tempo;

5 - Comunicações Via Satélite, por Arthur Clarke;

Sua contribuição de maior importância é o conceito de satélite geoestacionário como futura ferramenta para desenvolver as telecomunicações, que previu em um de seus livros a criação de um sistema de comunicações por satélite que, 25 anos depois, quando foi de fato inventado, resolveram homenagear Clarck: deram o nome dele à órbita onde ficam os satélites e esta órbita passou a se chamar “órbita Clarck”



6 - Submarino, por Julio Verne;

Não! Não estou falando do site, do qual sou afiliado. O submarino embora já existisse, a concepção utilizada por Verne em 20.000 Léguas Submarinas deu decisivas contribuições para o desenvolvimento deste tipo de meio de transporte, utilizado principalmente pelas forças armadas.

7 - A wikipedia, por Isaac Asimov;

O mestre da ficção científica, além de robôs, criou várias inspirações, como a própria wikipedia faz relação. Veja o que disse o escritor:

(Haverá uma tendência para centralizar informações, de modo que uma requisição de determinados itens pode usufruir dos recursos de todas as bibliotecas de uma região, ou de uma nação e, quem sabe, do mundo. Finalmente, haverá o equivalente de uma Biblioteca Computada Global, na qual todo o conhecimento da humanidade será armazenado e de onde qualquer item desse total poderá ser retirado por requisição...)

(Certamente, cada vez mais pessoas seguiriam esse caminho fácil e natural de satisfazer suas curiosidades e necessidades de saber. E cada pessoa, à medida que fosse educada segundo seus próprios interesses, poderia então começar a fazer suas contribuições. Aquele que tivesse um novo pensamento ou observação de qualquer tipo sobre qualquer campo, poderia apresentá-lo, e se ele ainda não constasse na biblioteca, seria mantido à espera de confirmação e, possivelmente, acabaria sendo incorporado. Cada pessoa seria, simultaneamente, um professor e um aprendiz...)


8 - Apolo 11, e viagem para a lua, por Julio Verne;

A quem jure que jure que Julio Verne inspirou a viagem e para a lua no livro Da terra à lua. Algumas coincidências reavivam a questão, como:

* A descrição do módulo com três astronautas;
* O local de partida da nave em Tampa, nos EUA, apenas a 30 km de distância de onde realmente sairia a Apollo 11 cerca de cem anos depois;
* O nome de alguns astronautas, como Michel Ardan, é semelhante ao Michael de Michael Collins; e Ardan, ao do astronauta Edwin Aldrin).

****************

Reações:

4 comentários:

  1. no item 7, não apenas a wikipedia encaixa-se na descrição, mas como a própria internet.

    ResponderExcluir
  2. Realmente pode-se visto desta maneira.

    ResponderExcluir
  3. O Kindle, pode até ser o iPad... sem as teclas...

    ResponderExcluir
  4. Carambaa! Que legal! Veei. Deu ate vontade de ler Julio Verne! Douglas Adams foi um gênio!

    Suuper legal as curiosidades!! Amei

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...