Header Ads

10 Razões porque escritor (a) é uma profissão arriscada

Nos últimos anos a proporção daqueles que desejam ser escritor ou escritora nos parece ter aumentado, até mais que o número de novos leitores. Mas como toda profissão, o fazer literário tem seus prós e contras, e hoje selecionamos 10 razões que mostram que escrever pode ser uma profissão bastante perigosa, confira:

1 - Escritores não raro são assassinados, e não raro, ocorrem assassinatos justamente em razão de seu trabalho;

2 - Escritores são constantemente ameaçados de morte, como Salman Rushdie, que vive aprisionado pelo fundamentalismo, ainda que o autor não esteja numa prisão física;

3 - Escritores são banidos e perseguidos por governos autoritários, de modo que reconhecer a tirania é bem fácil, basta observar se neste governo persegue-se ou não escritores;

4 - E mesmo em ambientes menos hostis, não significa que a vida dos escritores seja fácil, afinal, não há qualquer estabilidade da carreira, e mesmo que se consiga um grande sucesso, ele não alimentará para sempre;

5 - Sim, escritores ganham pouco por seu trabalho, e cada vez mais, escritores trabalham e graça [não vale citar exceções como se fosse a regra]

6 - No Brasil a coisa é ainda pior. Raros são os casos de quem pode dizer que vive de sua literatura e da escrita, já que não raro a escrita é complementar ou complementada de outras fontes;

7 - Aliás, escritor sequer é uma profissão regulamentada, ou minimamente organizada no país;

8 - A literatura, e a brasileira ainda mais, é composta de alguns pequenos e fechados círculos;

9 - Na realidade brasileira há ainda o problema do desinteresse e da pouca importância dada à literatura por grande parte da sociedade, pelos governos nem se fala, então;

10 - Ser escritor não te garante renda nem aposentadoria, e mesmo nomes celebrados como Mário Quintana acabam empobrecidos (aliás, talvez por isso que muitos de nossos principais nomes na literatura acabam entrando para o funcionalismo público)

Nenhum comentário