Header Ads

10 Personagens femininas mais importantes da literatura brasileira

No post de hoje selecionamos 10 fortes e relevantes personagens mulheres da literatura brasileira, que por diferentes razões mostram o grande desafio e a luta de ser mulher neste país, confira:

1 - Capitu: A sem sentido e permanente discussão se Capitu traiu ou não Bentinho é provavelmente um dos grandes exemplos de como o pensamento machista ainda impera no país. O fato é que se permitir entrar nessa discussão já traz um dos comportamentos mais antigos, o de responsabilizar a mulher por tudo, e na maioria dos casos não se leva nem em conta o fato do narrador ser o próprio Dom Casmurro;

2 - Aurélia Camargo: A personagem do clássico, Senhora, de José de Alencar, estava tão a frente de seu tempo, que ao próprio Alencar, não restou alternativa que não fosse matar a personagem ao final do romance, sucumbindo o autor às convenções de sua época;

3 - Gabriela: Com muito cravo e canela, a personagem vai muito além da sensualidade e do desejo, e com sua postura representa novos ideais e comportamentos em busca da liberdade e da renovação cultural;

4 - Diadorim: Na real, é uma das personagens mais misteriosas da literatura brasileira. Tudo que sabemos sobre ele-ela, é pelo que nos narra Riobaldo, e mesmo podendo construirmos um perfil desta mulher que se traveste de homem e sobrevive no cangaço, há lacunas e nuances a serem descobertos desta grande personagem;

5 - Ana Terra: A grande matriarca da saga de Érico Veríssimo além de trazer uma mulher forte e guerreira, mostra que elas enfrentam o mundo violento e perverso com uma força que homens na maioria das vezes não possuem;

6 - Bertoleza: Uma personagem que permanece das leituras do ensino médio, e que tem muita coisa para se discutir e refletir. Vítima dos interesses masculinos, ela representa muito das dificuldades encontradas pelas mulheres negras, não só à época de O Cortiço, mas também dos dias atuais;

7 - Marias e Penhas: Já na literatura recente, é em Desesterro, de Sheyla Smanioto que encontraremos mulheres sofridas sim, mas fortes e resistentes como poucas, e que através de seus sofreres escancaram a ausência e a violência masculina num universo terroso e barrento como a própria luta diária das mulheres;

8 - Carolina Maria de Jesus: Aqui a personagem também é autora e narradora. Livro de grande repercussão desde sua publicação, a obra, hoje é uma das mais estudadas e debatidas no meio acadêmico, que em seu Quarto de Despejo, escreve seu diário com a rotina na favela;

9 - Marília: Vamos incluir aqui, afinal, a diversidade nos permite, esta mulher que encarna o perfil das musas, tanto que Marília, de Dirceu é um dos poemas mais relevantes da nossa literatura;

10 - Quitéria Campolargo: Além disso, quem disse que mulher tem local definido na narrativa? No caso desta matriarca conservadora de Antares, digamos, ela ocupa uma posição que não está do lado dos "mocinhos e mocinhas", mas não perde em fibra e força.

Obs.: Sim, com certeza se deve questionar esta lista, inclusive que poderia ser bem diferente. Todavia, creio que em termos de relevância, todas as personagens o são? Não? E sim, também acho que no mínimo podemos debater por um bom tempo o fato que a maioria das presentes no post, foram escritas de homens...

3 comentários:

  1. Só um adendo: Aurélia Camargo não morre no final da história. Na verdade, o final terminou como mandava a lógica da época, apesar da personagem feminina ser tão avançada para seu tempo. Se vamos dar spoiler, ao menos seria bom dar um verdadeiro. ;)

    ResponderExcluir