Header Ads

10 Considerações sobre Doadores de Sono, de Karen Russel ou por que ter bons sonhos

O Blog Listas Literárias leu Doadores de Sono, de Karen Russel publicado pela editora Record; neste post as 10 considerações de Douglas Eralldo sobre o livro, confira:

1 - Estranho e confuso certamente seriam duas palavras que representariam bem Doadores de Sono, uma obra de argumento estranho cuja narrativa deixa a sensação de faltar algo em sua construção de tal modo que destoa um pouco do catálogo da Record;

2 - Ambientada num futuro incerto, mas próximo, somos colocados diante de uma estranha epidemia que causa insônia na população, bem como retrata as consequências trágicas desta nova doença que alastra-se por solo americano;

3 - Nesse ambiente de medo e tensão novas organizações surgem como a Corpo do Sono que de alguma forma encarna as típicas corporações e instituições do suspense guardando segredos por de trás da sua fachada de apresentação, nesse caso recrutando doadores de sono para os insones;

4 - E talvez comece por aí o estranhamento e a sensação de ausência, pois se temos um problema apresentado, as teias que o tecem parecem frágeis e carentes de certa lógica causando certa incapacidade de convencimento do leitor, especialmente porque a verossimilhança tanto externa quanto interna não é construída de forma robusta;

5 - Também contribui para esse distanciamento entre leitor e obra a voz narrativa em primeira pessoa da protagonista Trish que não consegue a meu ver organizar com clareza seus argumentos e sua própria narrativa, além de soar extremamente superficial;

6 - Contudo, podemos pescar nas águas rasas do romance ao menos exemplos contrastantes das boas intenções e do capitalismo obscuro em entidades que agem sob as sombras pondo em xeque nesse caso as boas intenções da Corpo do Sono ao passo que Trish faz determinadas descobertas;

7 - Entretanto isso será o máximo que poderemos retirar da leitura, que diga-se, é rápida, pois a falta de amarração de argumento aliada a um falso tensionamento que no fim não justifica os suspense, acaba soando com algo sem sentido;

8 - Além disso, como já falado, suas páginas são narradas de forma sempre superficial sem grandes aprofundamentos, seja de enredo seja de complexidades psicológicas além de um ritmo que menos a sensação de fluidez, dá a sensação de algo apressado, como que se a autora quisesse livrar-se logo da ideia;

9 - Portanto temos neste livro uma leitura que dificilmente agradará leitores minimamente exigentes, pois apresenta em vários sentidos muitas fragilidades e problemas que fazem dela uma obra inacabada, sem grande esmero, o que mais uma vez vale dizer, destoa um pouco do catálogo da Record visto que o livro de Russel possui poucos atrativos tanto em técnicas narrativas quanto organização do argumento;

10 - Enfim, Doadores de Sono é uma obra que apesar de possuir um argumento de potencial perde-se em suas deficiências sendo incapaz de agradar o leitor de suspense e mesmo o leitor de ficção científica porque acima de tudo carece de uma identidade definida e de uma execução qualificada. Há tempos não surpreendia-me negativamente com uma leitura.


Nenhum comentário