Header Ads

10 Considerações sobre Que fim levou Juliana Klein? de Marcos Peres ou por que não contrariar Nietzsche

O Blog Listas Literárias leu Que fim levou Juliana Klein? de Marcos Peres publicado pela editora Record; confira neste post as 10 considerações de Douglas Eralldo sobre o livro:

1 - Que fim levou Juliana Klein é acima de tudo uma narrativa pungente, cheia de ousadias e qualidades que certamente destacam Marcos Peres no cenário literário brasileiro. Com uma proposta audaciosa, o autor faz uso de um gênero popular para esbanjar muita técnica e conhecimento, numa obra que merece elogios;

2 - Embora levando todo o jeito de romance policial (o que o livro também o é), a narrativa por outro lado é como se fosse uma antítese ao gênero, pois no livro as coisas são mostradas intencionalmente de modo a não fazer sentido, e, ainda, ao contrário dos romances policiais cuja solução é objetiva e clara, aqui o final se dá pela subjetividade de um epílogo que mostra teorias, mas que em momento algum consegue detalhar aquilo que na vida real e na ficção é fator crucial para elucidação de um crime: a sua motivação;

3 - É que o leitor até acompanha uma série de crimes e sua investigação, porém a conclusão final (da obra, não do crime) é inovadora pois deixa uma série de elementos em suspenso que certamente levarão o leitor a retornar à leitura, em busca de novas informações e indícios para que possa ir além das três sugestões finais, que todas, aliás, me parecem frágeis;

4 - No entanto, a vida de um "leitor-investigativo" que gosta de bancar o detetive literário tentando descobrir a solução do caso junto ao detetive ficcional não é facilitada neste livro justamente por uma de suas principais virtudes, a forma. É na forma e na estrutura da narrativa que Marcos Peres revela uma raro domínio sobre a sua escrita, e a diferencia dos demais;

5 - A começar pelas particularidades relacionadas à narração do romance. Com prefácio e epílogo por uma psiquiatra responsável pela transcrição literal de quem "teria narrado a maior parte dos acontecimentos do livro"  desde o princípio o leitor é informado que ficará a mercê de delírios e não-ditos, sem falar que tudo transcorre por meio do fluxo livro de pensamentos e associações. E tudo isso é narrado no livro numa voz disfarçada de terceira pessoa, cujo narrador será revelado somente no final do livro e ira corroborar com as informações do prefácio;

6 - Além de um jogo estrutural, estas particularidades intencionalmente confundem o leitor, que vez por outra estará diante da dúvida se há problemas de sequência na narração, porém logo se lembra de que é o caráter problemático do narrador que acaba criando situações e acontecimentos que se mesclam no tempo e que dão todo o caráter da grande confusão mental imposta a tal narrador;

7 - Até porque a sequência dos fatos trágicos envolvendo os Kock e os Klein na narrativa se concentram em três principais momentos no tempo, e com isso conturba ainda mais a montagem de todo o quadro já que a narração salta livremente de um período a outro, mas sempre impulsionada por ganchos, e também pela própria imaginação da pessoa que narra o livro;

8 - Além das questões estruturais que fazem do romance uma escrita bastante sólida, a ambientação e as personagens também são de grande valor no trabalho, inclusive adentrando o universo das vaidades acadêmicas e de certa forma desvelando certos debates inócuos, mas que por outro lado acabam gerando profundas rivalidades, ou julgamentos morais;

9 - Aliás, a ambientação no universo acadêmico acaba também fortalecendo a expressiva intertextualidade presente na obra, em que pensadores como Dante, Sartre, mas especialmente Nietzsche e sua natureza cíclica do tempo que desempenha papel central na trama;

10 - Enfim, Que fim levou Juliana Klein é uma destas obras de qual iremos ouvir muito, seja por suas personagens de grande presença ficcional, seja pela atraente e trágica trama num inóspito e disputado ambiente acadêmico, seja por sua estética e forma que mexem com os pilares do romance policial. Uma ótima leitura de um autor que sabe o que está fazendo.



Um comentário:

  1. Excelente texto... Também me senti desafiado como leitor detetive e achei que o autor foi muito inteligente em nos fornecer apenas a avaliação de Irineu. Recentemente fiz uma entrevista com o autor, caso interesse, segue o link https://gavetadebagunca.wordpress.com/2016/03/20/5-perguntas-marcos-peres/

    No nosso blog tbm temos resenhas para as duas obras de Marcos Peres.

    Abraços e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir