10 Considerações sobre O Código Élfico, ou porque elfos podem ser maus... muito maus...

O Blog Listas Literárias leu O Código Élfico, de Leonel Caldela, e nesta lista, suas 10 Considerações sobre o livro. Ah, e é possível que eu deixe escapar um ou outro spoiler, essa é uma mania incorrigível, portanto a escolha é sua: 

1- O Código Élfico de Leonel Caldela é literalmente uma imersão num universo onírico onde o fantástico e o absurdo se materializam diante do leitor representado pela misteriosa e estranha cidade de Santo Ossário, e seus personagens;

2 - Outro fator bem evidente no livro é o misticismo que o compõe, especialmente a carga mítica nos diálogos e nas ações da protagonista Nicole Manzini durante sua jornada de autoconhecimento, e também crescimento espiritual, durante sua jornada de luta para salvar a humanidade;

3 - O livro tem em seu âmago uma mescla de ficção científica e fantasia, ambas é claro delineadas pelo horror e pela sanguinolência de seus vilões;

4 - Aliás, Santo Ossário é uma cidade a ser entendida e estudada, como se fosse uma nova Gotham City abrigando criaturas malignas e cruéis centralizando boa parte do mal que compõe os mundos, só que no ermo e distante interior de uma cidade brasileira;

5 - Por isso, (como habitante de uma cidade pequena e do interior) no início tive dificuldades de compreender Santo Ossário, sua estrutura, bem como a falta de repercussões de atos que num ambiente tão interiorano certamente seriam comentados e discutidos por cada morador. No entanto ao longo do livro a própria magia do local acaba ajudando a assimilar isto;

6 - Além disso, o livro acaba apresentando alguns clichês, especialmente vistos no cinema, o que dependendo do leitor, pode causar certo incômodo. Porém, o próprio autor deixa isto evidente ao ter uma musa das lendas urbanas, e trazer no enredo o cinema como plano de fundo, e algumas referências explícitas;

7 -  Dentre as qualidades do livro é preciso destacar as cenas de ação e conflito, bem como o cenário sombrio e mortífero que recai sobre Santo Ossário, por causa dos planos do vilão doentio Emanuel Montague. 

8 - Já os protagonistas, o elfo Astarte, e Nicole, são duas figuras que crescem ao longo do livro e suas jornadas refletem e concentram o misticismo que compõe a obra, especialmente trazendo a mensagem do poder que há em "nossas próprias vontades", e a capacidade que isto tem de disparar uma seta certeira;

9 - O livro também é uma boa oportunidade de se conhecer outras facetas dos elfos, criaturas que atualmente são vistas em seu lado mais bondoso, mas que na obra de Caldela se apresentam de um forma bastante tenebrosa e sombria. Elfos quando querem ser maus, são muito maus; 

10 - Enfim, O Código Élfico representa um pouco da nova safra da fantasia brasileira, trazendo para cenários daqui, criaturas que estão no imaginário de todo o mundo. É uma aventura movimentada, com muita ação, e algumas pausas para reflexão. É uma obra que permite ao leitor tirar suas próprias conclusões;






10 Considerações sobre O Código Élfico, ou porque elfos podem ser maus... muito maus... 10 Considerações sobre O Código Élfico, ou porque elfos podem ser maus... muito maus... Reviewed by Douglas Eralldo on domingo, junho 02, 2013 Rating: 5

2 comentários

  1. Comecei a ler o livro há pouco tempo e, confesso que narrativa e a forma como o autor escreve, me cativou. Dinâmico, mas de construção e entendimento fáceis. Concordo com os "clichês", fiquei um "tantinho" decepcionada, mas mesmo esses clichês não impediram que a história me conquistasse. Grata surpresa!!

    ResponderExcluir