10 Livros Infanto-Juvenis que Já Foram Censurados

Não é de hoje que falamos de livros banidos ou censurados aqui no blog. E para mostrar que a censura chega independentemente de qual tipo de obra, uma lista com 10 Livros infanto-juvenis que já foram censurados:

1 - A Fantástica Fábrica de Chocolate, de Roald Dahl: O livro chegou a ser proibido por algum tempo em algumas regiões dos Estados Unidos com a queixa de trabalhar com temas racistas, muito especialmente pela descrição de cor nas primeiras versões dos Oompa Loompas;

2 - Onde Vivem os Monstros, de Maurice Sendak: O livro foi proibido em muitas bibliotecas dos Estados Unidos, sendo a principal reclamação de que o livro teria um tom sombrio e um protagonista indisciplinado

3 - Green Eggs and Ham, de Dr. Seuss: Esse é um livro que tenta ensinar coisas novas, uma premissa que não agrada muito na China.Por isso em 1965, a República Popular da China proibiu o clássico, alegando que ostentava ideias marxistas e homossexuais;

4 - Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carrol: O livro já sofreu muitos bombardeios e queixas pelo mundo, sendo que entre das mais variadas queixas, as de maior peso no teor são de que o livro possui referências a atos sexuais, de abuso infantil, além de estimular o uso de drogas;

5 - Harry Potter, de J. K. Rowling: Não somente em águas calmas andou o bruxinho, envolvido em muitas controvérsias ao longo da série, especialmente com a censura em muitas bibliotecas americanas que restringiram sua leitura. Entre as principais acusações estaria a de estimular a bruxaria. Aliás, vieram dos cristãos protestantes o maior número de queixas contra o livro.

6 - Caçadas de Pedrinho, de Monteiro Lobato: Ainda corre no STF uma ação que pretende excluir a presença do livro nas escola públicas brasileiras sob alegação de a obra conter cunho racista. A polêmica começou em 2010 quando o Conselho Nacional de Educação recomendou que o livro não fosse distribuído nas escolas.

7 - A Menina e o Porquinho, de E. B. White: Em um caso extremo na Inglaterra uma escola proibiu o livro por temer que o porco Wilbur pudesse parecer ofensivo a estudantes muçulmanos. Para alívio geral, o Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha rapidamente percebeu a loucura, e tudo foi restabelecido normalmente.

8 - O Mágico de OZ, de L. Frank Baum: O livro tem sido questionado ao longo dos tempos, e por uma variedade de razões. Dentre elas a de que o livro estimula a covardia, e não podia deixar de faltar queixas religiosas de que também o livro promoveria a bruxaria.

9 -Ponte Para Terabithia, de Katherine Paterson: Geralmente presente na lista de livros proibidos nos anos 1990, especialmente por seu retrato da morte, sendo também foi acusado de promover uma variedade de filosofias religiosas, incluindo o satanismo, ocultismo e religião da Nova Era.

10 -Winnie-the-Pooh, de A. A. Milne: O livro foi proibido na Rússia sob a acusação de possuir laços com o nazismo. E a culpa disso foi simplesmente a prisão de um suposto nazista que possuía em sua casa um desenho do ursinho com a suástica. Foi o suficiente para os russos cravarem que Pooh é nazista. 

10 Livros Infanto-Juvenis que Já Foram Censurados 10 Livros Infanto-Juvenis que Já Foram Censurados Reviewed by Douglas Eralldo on sexta-feira, março 22, 2013 Rating: 5

3 comentários

  1. Apesar de adorar as Crônicas de Nárnia, fiquei indignado com os inimigos claramente muçulmanos presente na obra.
    E não me espantaria saber que os livros de Lewis foram proibidos em algum lugar com o temor de ofender os árabes.

    ResponderExcluir
  2. Improvável que Green Eggs and Ham fosse proibido na República Popular da China por ser marxista, afinal este país era um regime comunista nesta época. Portanto, ou este livro foi proibido com outras alegações, estimular o homossexualismo é um plausível, ou foi proibido na outra República da China, a Nacionalista e não Popular, que hoje é conhecida apenas por Formosa.

    ResponderExcluir
  3. Putz, HP censurado? Não imaginava!

    ResponderExcluir