10 Considerações sobre A Estrela do Diabo, de Jo Nesbo, ou como um tira bom pode ser muito mais esperto que os caras maus...

1 – Harry Hole é como os tiras de um bom romance policial [Neste caso num excelente romance policial] Bêbado, prestes a ser demitido, com conflitos com a namorada, e obsessivo por encontrar o assassino de sua ex-parceria, cujo suspeito é também um policial. No meio disso tudo um série de assassinatos. Tinha tudo para dar errado. Porém Hole é muito mais esperto que os caras maus;

2 – Jo Nesbo consegue em sua narrativa apresentar-nos uma estória tão vívida que somos jogados pelas ruas de Oslo – Noruega acompanhando Hole, um policial dedicado e cheio de problemas. É como se entrássemos no livro, no momento que começamos a ler, de tão claras e reais as cenas que ele escreve;

3 – O primeiro capítulo da á perfeita mostra do que o leitor encontrara. A cena nos vem ao pensamento como uma tomada de um filme. Então descobrimos segredos das construções norueguesas, lendas macabras, e ao passo que o sangue pinga do andar superior, e cai numa panela com água fervente acima de 65° aprendemos que isto forma uma bolota preta e com gosto de ovo... E acredite, você sentira como se estivesse dentro deste apartamento.

4 – O bom em livros policiais é o leitor poder brincar de detetive e querer logo descobrir quem é o assassino [Por isso tomo muito cuidado nestas considerações, para nada ser considerado como pistas] e por várias vezes pensei na irrefutabilidade de meus suspeitos... Porém só descobri o desgraçado quando Nesbo abriu o jogo;

5 – O livro além de mistério traz muita ação, e esteja preparado, pois em muitas passagens a narrativa nos faz literalmente perder o fôlego, pois Jo Nesbo tem um talento nato em mostrar a tensão do momento... as frações de segundos intermináveis, em que tudo esta por se dar mal...

6 – Uma queda... Um tiro por ser desferido... Um soco... Um beijo... Tudo ganha dimensões proporcionais na narrativa detalhada aos mínimos detalhes...

7 – O enredo por si é muito bacana pelas diversas alternativas abertas na mente do leitor...

8 – Os personagens [Quase todos com algum trauma] são esmiuçados ao longo do livro pelo narrador, a ponto que passamos a conhecer cada um deles em toda a intimidade, sejam eles os mais desprezíveis, ou personagens carismáticos como a perita Beate Lonn...

9 – É muito provavelmente o livro policial com o maior índice de adrenalina, por página que li. Tensão, medo e necessidade de recuperar o fôlego foram necessários pelo tempo que se inicia a fantástica jornada de Harry Hole para elucidar um caso complexo, em meio a tantos problemas que ele enfrentava, e ainda tendo que lutar para manter-se sóbrio...

10 – Por fim. Uma história muito bem construída, a ação contada como se vivêssemos em uma exibição 3D, com o leitor dentro do cenário da trama, e um autor pelo jeito fã da seleção brasileira, e Ronaldo, só podia resultar em uma de minhas melhores experiências de leitura.



10 Considerações sobre A Estrela do Diabo, de Jo Nesbo, ou como um tira bom pode ser muito mais esperto que os caras maus... 10 Considerações sobre A Estrela do Diabo, de Jo Nesbo, ou como um tira bom pode ser muito mais esperto que os caras maus... Reviewed by Douglas Eralldo on sábado, agosto 27, 2011 Rating: 5

Um comentário

  1. Nesbo é um verdadeiro artista, li também outros títulos do autor como "O boneco de neve" e "O redentor" que também são excelentes, prendem sua atenção.

    ResponderExcluir