10 Considerações sobre Na fronteira da realidade de Gabriel Billy, ou como a loucura as vezes é cômica...

1 - Na fronteira da realidade, a mim foi uma leitura paradoxal, pois ao mesmo tempo em que me defrontei com alguns problemas no livro, por outro lado foi um leitura que fluiu rápida, cômica, e no final de tudo, gostei do que li...

2 - Sobre os problemas, boa parte deles pode ser creditado a revisão, que vão desde alguns erros, ao uso demasiado de vícios de linguagens, e de algumas expressões e palavras, a uma falha de continuísmo que embora não atrapalhe a trama principal, acaba chamando a atenção, o que não é muito bom para livros policiais... 

3 - Gostei da trama, cujo pano de fundo são crimes em série em que o autor usa de seu conhecimento musical para criar assassinatos cujo criminoso sempre deixa uma pauta musical nas cenas do crime;

4 - No entanto o foco narrativo não é o crime, mas sim o policial Victor, que passa por problemas psiquiátricos e acaba no meio da investigação se engendrando nos crimes, e na sua loucura;

5 - A loucura de Victor é responsável pelas melhores passagens do livro. Enquanto uma série de crimes vão ocorrendo, o policial vai ficando "maluco de pedra", vendo coisas, topando com "pombos alienígenas", e batendo altos papos com seu hamster e estimação Xiboquinha. Não sei se sou sádico, ou se a intenção era está, mas ri muitas vezes com as loucuras de Victor;

6 - O livro embora, pequeno, 128 páginas, abriga muitos personagens, e exceto pelo erro de continuísmo que falei, todos vão interligando-se na trama de forma muito natural;

7 - A narrativa do autor é simples, e sem floreios, o que de certa forma agiliza a ação no livro;

8 - Por outro lado, talvez fosse interessante uma narrativa mais detalhada das cenas do crime, no entanto, este acabam sempre como pano de fundo para as loucuras de Victor, que no final das contas acaba solucionando o crime, que vinha matando seus antigos colegas de 2º grau;

9 - Tanto a solução, como o acontecimento dos assassinatos foi trabalhado de forma eficaz pelo autor, e tudo se encaixou de forma natural, e mesmo quando o assassino surge no livro, ainda não sabemos de sua identidade, e quando ela surge, é totalmente plausível para o enredo da estória;

10 - Por fim, mesmo com alguns problemas, é uma leitura descontraída e rápida [li em 1 dia] que vale a pena para leitores curiosos e que gostam de incentivar novos autores nacionais. O livro ainda tem algumas outras coisas legais como a participação de uma sociedade secreta no enredo, e o mistério do suco de groselha, pois é uma fruta que todo mundo conhece o suco, mas jamais viu a fruta... Será que Groselha existe?





10 Considerações sobre Na fronteira da realidade de Gabriel Billy, ou como a loucura as vezes é cômica... 10 Considerações sobre Na fronteira da realidade de Gabriel Billy, ou como a loucura as vezes é cômica... Reviewed by Douglas Eralldo on domingo, fevereiro 05, 2012 Rating: 5

2 comentários

  1. Olá. Vi que você avalia o argumento, a narrativa, a capa e a diagramação, mas só comenta os dois primeiros itens. Não seria o caso de comentar todos os itens avaliados?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficou anotada a sugestão. Em algumas considerações abordei o os temas, embora dê preferência ao conteúdo.

      Excluir